Dr. Rogerio Gomes - Cirurgia Plástica - Florianópolis | Prótese de silicone para glúteos
4732
page-template-default,page,page-id-4732,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Prótese de silicone para glúteos

Para quem é indicado esta cirurgia? Para pessoas (homens e mulheres) com pouca nádega, ou nádegas envelhecidas que ¨murcham¨com o tempo. Pessoas que tem excessos de gordura localizada, podem optar pela Lipoenxertia de glúteos, que costuma oferecer bons resultados, mas pessoas que não tenham excesso suficiente de gordura, necessariamente terão indicação de implantes de silicone em glúteos.

A cirurgia de implante de silicone no glúteo deixa cicatrizes? Esta cirurgia permite-nos colocar as cicatrizes da pele bastante disfarçadas entre as nádegas, verticais, de 4-5cm. Para melhor esclarecê-lo(a) sobre a evolução cicatricial, vamos relatar os diversos períodos pelos quais as cicatrizes passarão:

a- PERÍODO INICIAL: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto excelente e pouco visível Alguns casos apresentam uma discreta reação aos pontos ou ao curativo.

b- PERÍODO INTERMEDIÁRIO: Vai do 30º dia até o l2º mês. Neste período haverá um espessamento natural da cicatriz, bem como uma mudança na tonalidade de sua cor, passando do “vermelho para o “marrom” que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes. Como não podemos apressar o processo natural de cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois, o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.

c- PERÍODO TARDIO: Vai do 12º ao l8º mês. Neste período a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo.

Onde se localizam as cicatrizes e o silicone? Nós posicionamos a cicatriz entre as nádegas, verticalmente, de 4-5cm, em local totalmente coberto mesmo por roupas íntimas mínimas, sendo única para os dois lados. Com o decorrer do tempo (vide item anterior), as cicatrizes vão ficando mais discretas, chegando mesmo à quase imperceptibilidade, em certos casos. Já os implantes de silicone são posicionados dentro do músculo glúteo máximo, pois neste espaço criado durante a cirurgia, existe uma cobertura adequada para proteger os implantes, conferir aspecto natural mesmo ao caminhar ou correr. Existem outros 2 planos (sub-fascial e sub-muscular), que outros cirurgiões plásticos utilizam, mas o intra-muscular é de nossa preferência.

Como ficarão minhas nádegas, em relação ao tamanho e consistência? As nádegas podem ter seu volume aumentado através da cirurgia. Além disso, almejamos melhorar sua consistência e forma com a intervenção cirúrgica. Assim é que, neste caso, pode-se escolher o novo volume, pois dispomos de vários tamanhos de peças de silicone a serem introduzidas. Existe uma harmonia entre o volume ideal das nádegas e o tamanho do quadril, característica esta que deve ser preservada no planejamento da cirurgia. Deverão ser mantidas as proporções entre o volume da nádega e o tamanho do quadril de cada paciente, a fim de se obter uma maior harmonia estética. A nádega assim operada, passará por vários períodos evolutivos.

Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo? Apesar do resultado imediato ser muito bom, somente após o 3° mês é que as nádegas atingirão sua forma definitiva.

Qual o tipo de traje de banho que poderei utilizar após a cirurgia? Qualquer tipo. Não há restrição.

O pós-operatório desta cirurgia é doloroso? Geralmente é pequena, desde que você obedeça às instruções médicas, principalmente no que tange a não dormir de barriga para cima (somente de bruços e os 2 lados) nos primeiros 14 dias. Eventualmente poderá ocorrer manifestação dolorosa, que facilmente cederá com os analgésicos receitados.

Há perigo nesta operação? Raramente a cirurgia de aumento das nádegas determina sérias complicações. Isto se deve ao fato de se preparar adequadamente cada paciente, além de ponderarmos sobre a conveniência ou não da utilização das próteses de silicone, pois se trata de corpor estranho, assim como sobre suas eventuais complicações.

Qual o tipo de anestesia utilizada? Anestesia peridural ou raquidiana são as mais comuns; em casos raros, pode ser preferível a anestesia geral.

Quanto tempo dura o ato cirúrgico? Em média 90 minutos, podendo chegar a 120 minutos se necessário for.

Qual o período de internação? Normalmente não é necessário internação, mas um período de recuperação anestésica que varia de 6-12 horas. Raramente ocorrerá internação por 24hs. São utilizados curativos? Somente na cicatriz. Haverá uma cinta modeladora para pós-operatório (bermuda) que será utilizado por 30 dias. Quando são retirados os pontos? Geralmente utilizamos cola ou fios absorvíveis, que dispensam retirada pontos.

Como devo proceder para tomar banho? Nos primeiros dias, antes do primeiro retorno, com chuveiro manual e auxílio de outra pessoa, cuidando para não molhar as cicatrizes e os curativos. Após o primeiro retorno, pode-se tomar banho completo, conforme será orientado no seu retorno.

Qual o papel da drenagem linfática no pós-operatório? A drenagem linfática ajuda na remoção de líquidos e toxinas acumulados nas regiões operadas. Isto leva a mais conforto para a(o) paciente, menos dor no pós-operatório e mais rápido retorno às atividades do dia-a-dia. Mas é fundamental que seja feita por profissional com experiência em pós-operatório de cirurgia plástica, pois a drenagem linfática mal feita, pode interferir negativamente no resultado final

Qual a evolução normal pós-cirúrgica? As nádegas passarão por diversas fases. Existe uma fase inicial, geralmente de 1 semana, onde a sensibilidade existe de forma suportavel com as medicacoes prescritas. Nas primeiras 2 semanas recomenda-se não deitar sobre a prótese, podendo dormir de lado ou de bruços. Com o passar das semanas os edemas, equimoses e demais sintomas vao cedendo ate que se atinja o resultado almejado ao redor de 6-12 meses.

O que é retração da cápsula? É uma intercorrência rara, que ocorre por contração exagerada da cápsula fibrosa que se forma ao redor da prótese, por reação do organismo. Determina certo grau de endurecimento à região, quando palpada. Certo percentual de casos poderá estar sujeito à tal retração; entretanto, se isto ocorrer em grau acentuado, as próteses poderão e deverão ser retiradas, através das mesmas cicatrizes, em ato cirúrgico simples, sob anestesia local. Cirurgião e paciente, poderão ponderar sobre a conveniência ou não da troca de próteses. A retração da cápsula nunca reflete imperícia do cirurgião, mas sim, um comportamento reacional do organismo das pacientes que a apresentam. As próteses de glúteo, por estarem dentro do músculo glúteo, dificilmente manifestam estas alterações.

O que e rejeição a prótese? As próteses sçao corpos estranhos, e como tal, mesmo que excepcionalmente, podem desencadear uma rejeição ao organismo, que se manifesta com dor, aumento de volume e vermelhidão(fase mais avançada). Nestas situações, é necessário retirar a prótese rejeitada.

Que tipo de intercorrências podem ocorrer? Consideramos intercorrência todo e qualquer detalhe que possa surgir no pós-operatório além daqueles considerados normais. É sempre indesejado, mas de controle médico. Hematomas, seromas são situações que podem ocorrer, principalmente em pacientes com peso acima do ideal, doenças sistêmicas e tabagistas. Os processos infecciosos, apesar de raros, podem ocorrer. As equimoses (manchas roxas) nada mais são do que a infiltração do sangue (hemossiderina) na pele subjacente são devidas ao próprio trauma cirúrgico. Isto, entretanto, não constitui qualquer problema futuro, com resolução espontânea.

Quando poderei voltar às minhas atividades normais? Pode-se reiniciar a dirigir, geralmente após 15 dias, com cuidados. Caminhadas curtas a partir de 14 dias. Banho de sol após 1 mês. Exercícios físicos a partir de 1 mês. Conforme o seu caso específico poderá haver ajustes nestes números, e serão explicados na época adequada.

Para que servem os exames pré-operatórios e fotografias? Os exames que pedimos previamente a cirurgia constituem a rotina de qualquer ato cirúrgico. São fundamentais para avaliarmos o seu organismo como um todo, detectarmos anemias, processos infecciosos, etc. As fotografias tomadas antes e depois da sua cirurgia também são uma rotina e têm o objetivo de registrarmos a evolução do seu caso ao longo do tempo. São fundamentais no pré-operatório para avaliarmos as regiões a serem tratadas, eventuais diferenças de um lado para outro, enfim, para planejarmos o que será feito. Suas fotos permanecerão arquivadas e não serão exibidas a outros pacientes ou pessoas leigas, ficando seu uso restrito para fins de documentação científica.