Dr. Rogerio Gomes - Cirurgia Plástica - Florianópolis | Plástica de orelhas – Otoplastia
4711
page-template-default,page,page-id-4711,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Plástica de orelhas – Otoplastia

 

 

 

 

 

 

PLÁSTICA DE ORELHAS OU OTOPLASTIA

 

Objetivo: Reposicionar orelhas muito abertas, deixando-as mais próximas e agradáveis.

Como é feita: Sob anestesia local ou local mais sedação, ou anestesia geral, remodelagem e reposicionamento por pequenas incisões situradas atrás das orelhas. Idade: a partir dos 7 anos, mas a maioria dos casos é feito a partir da adolescência, quando o paciente toma mais consciência do seu corpo.

Recuperação: A maioria dos pacientes retorna em 3-4 dias às atividades normais, mas exercícios físicos devem ser evitados por 1 mês. A ausência de complicações no pós-operatório é condição para estes prazos serem razoáveis.

 

 

  • Por resolução do Conselho Federal de Medicina, a divulgação de fotos de antes e depois de cirurgias/procedimentos médicos, caracteriza infração ética, passível de punição.

 

 

 

 

MAIS DETALHES:

A partir de que idade é possível fazer a correção das orelhas em abano? A partir dos 7 anos, quando a orelha já completou seu desenvolvimento. Mas é mais prudente aguardar que a criança peça para fazer a cirurgia, geralmente ao redor dos 10-12 anos, quando tem mais noção do seu corpo, e portanto coloborará mais para a recuperação e o resultado final.Qual o benefício desta cirurgia? Além da melhora estética, há um benefício psicológico, pois muitas crianças começam a ser motivo de brincadeiras e apelidos que podem inibi-la e interferir no desenvolvimento de sua personalidade, e também isolá-la socialmente.

A cirurgia da orelha em abano deixa cicatrizes?   A cicatriz desta cirurgia é quase imperceptível, por localizar-se atrás da orelha, no sulco formado por esta e o crânio. Além do mais, como se trata de região de pele muito fina, a própria cicatriz tende a ficar “quase inaparente”.

Qual o tipo de anestesia?   Crianças: anestesia geral. Adolescentes e adultos: anestesia local com sedação.

Qual o período de internação?   Normalmente não é necessário internação, mas um período de observação de aproximadamente: Anestesia geral: 4 – 6 horas. Anestesia local: 2 – 4 horas.

Quanto tempo demora o ato cirúrgico?   Geralmente em torno de 90 minutos (bilateral), ou 45 minutos (unilateral).

Há perigo nesta operação?   Como em qualquer ato cirúrgico, existe um risco mínimo. Com o exame clínico e testes laboratoriais este risco torna-se quase nulo. É muito importante respeitar os cuidados de pós-operatório, usando a faixa recomendada e não deitar sobre as orelhas para diminuir a possibilidade de intercorrências. O perigo não é maior ou menor que aquele de se viajar de automóvel, avião ou mesmo o simples atravessar de uma rua. São riscos do cotidiano, aos quais estamos acostumados.

Há dor no pós-operatório?   Geralmente é moderada nos primeiros 2-3 dias, e pequena após este período. Quando houver dor, poderemos combatê-la com analgésicos mais potentes.

Como é o curativo?   Faz -se a proteção da cicatriz com gases, mantidas pela associação com uma faixa elástica. Para meninas é do tipo bailarina e para meninos do tipo de tenista. Esta faixa deve ser mantida por 2 semanas. Após isso não é mais necessário contenção.

Quando são retirados os pontos? Há dor?   Utilizamos cola ou fios absorvíveis, que dispensam retirada.

Em quanto tempo se atingirá o resultado definitivo?   Assim que se retira o curativo já teremos em torno de 80 % do resultado almejado. Após 3 meses, o resultado será praticamente definitivo.

Não há o risco de “voltar o problema do abano” após a cirurgia?   Desde que devidamente conduzida a cirurgia, o resultado será definitivo. Pode ocorrer, de forma rara, o rompimento de algum ponto interno com a recidiva. Convém salientar que uma leve assimetria poderá ficar, pois, mesmo as pessoas não operadas e que tenham orelhas normais, não apresentam simetria absoluta.

Que tipo de intercorrência pode acontecer?   Consideramos intercorrência todo e qualquer detalhe que possa surgir no pós-operatório além daqueles considerados normais. É sempre indesejado, mas de controle médico. Hematomas, seromas e processos infecciosos raramente ocorrem. As equimoses (manchas roxas) nada mais são do que a infiltração do sangue na pele subjacente; são devidas ao próprio trauma cirúrgico. Isto, entretanto, não constitui qualquer problema futuro, com resolução espontânea.

Quando poderei voltas às minhas atividades normais?   Após 2 dias poderá retornar às aulas. Exercícios físicos de qualquer espécie, somente a partir de 30 dias, bem como exposição solar; antes somente com bonés que cubram as orelhas e filtro solar FPS 25-30 ou mais, nas orelhas.

Para que servem os exames pré-operatórios e fotografias?   Os exames que pedimos previamente a cirurgia constituem a rotina de qualquer ato cirúrgico. São fundamentais para avaliarmos o organismo como um todo, detectarmos anemias, processos infecciosos, etc. As fotografias tomadas antes e depois da sua cirurgia também são uma rotina e têm o objetivo de registrarmos a evolução do caso ao longo do tempo. São fundamentais no pré-operatório para documentação, comparação no pós-operatório e avaliar eventuais diferenças de um lado para outro. As fotos permanecerão arquivadas e não serão exibidas a outros pacientes ou pessoas leigas sem o consentimento por escrito, ficando seu uso restrito para fins de documentação científica.[/vc_column_text]