Dr. Rogerio Gomes - Cirurgia Plástica - Florianópolis | Mamoplastia
5942
post-template-default,single,single-post,postid-5942,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Mamoplastia

Mamoplastia

Dentre as cirurgias mais realizadas, a mamoplastia pode ser feita para aumentar, reduzir, levantar ou até mesmo reconstruir os seios.

O propósito dessa cirurgia é transformar e remodelar as mamas, tornando-as proporcionais ao restante do corpo, dependendo do desejo de quem quer realizar o procedimento, que assim como em outras cirurgias, deve ser articulado e decidido entre médico e paciente.

Vejamos os recursos e processos para cada tipo de mamoplastia:

Mamoplastia de aumento:

Para quem tem seios pequenos, a mamoplastia de aumento é a opção ideal. Nessa cirurgia é realizada a colocação de implante de próteses de silicone nos seios, com o intuito de dar firmeza, formato e aparência natural à mama. Muitas pessoas procuram a cirurgia, também para enrijecer os seios, já que a sensualidade é associada a seios maiores. Com duas maneiras principais de incisão (sulco mamário e aréola), a prótese pode ser colocada na frente ou atrás do músculo peitoral, ou seja, o implante pode ser inserido abaixo da glândula, abaixo da fáscia muscular ou do músculo peitoral, sendo esta última mais utilizada em reconstrução. Comumente, quando o paciente possui pouca glândula, se põe atrás da fáscia muscular para que os implantes não fiquem muito aparentes, já quando são maiores, podendo cobrir satisfatoriamente o implante, são colocadas abaixo da glândula mamária.

Mastopexia mamária:

Também conhecida como lifting de mamas, é indicada para quem tem seios flácidos e caídos. De modo geral, quem se submete a essa técnica, faz a colocação de prótese de silicone associada, para dar mais densidade e aspecto mais agradável à nova mama.

Mamoplastia redutora:

Para quem tem seios volumosos e/ou desproporcionais, a mamoplastia redutora é a mais adequada. O volume dos seios, pela carga de peso, pode causar incômodo, ocasionando também dores na coluna costas e ombros, além de flacidez. Quando muito grandes, tendem a ficar caídos precocemente. O procedimento para esta cirurgia consiste em retirar a gordura desnecessária do seio, o tecido glandular e a pele, para atingir um tamanho de mama harmônico ao corpo do paciente. Ao fim da cirurgia, dependendo da quantidade de pele flácida retirada e o tipo de incisão, a cicatriz pode ser o T invertido, a periareolar ou o L.

Mamoplastia reconstrutiva:

Para quem já teve câncer de mama e retirou uma ou ambas as mamas (a chamada mastectomia), a mamoplastia reconstrutiva, reestrutura a mama, precisando geralmente, remover tecido de outras partes do corpo para essa reconstrução. A cirurgia pode ser feita subsequentemente a retirada da mama, ou ao mesmo tempo que a mastectomia, mas essa variação depende do tratamento indicado ao paciente em tratamento. Os resultados estéticos costumam ser inferiores às técnicas citadas acima, mas resgatam muito a auto-estima da mulher com esta condição.

Como em toda cirurgia, as intercorrências, apesar de incomuns, podem acontecer, e serão conduzidas da melhor forma pelo seu cirurgião plástico para resolver da melhor forma possível. Escolha um membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (www.cirurgiaplastica.org.br) para estar melhor assistida.

Venha conhecer mais detalhes sobre a mamoplastia na Clinica Rogério Gomes, estamos preparados para recebê-los!

Tags:
No Comments

Post A Comment